24/03/2020 - 14:32 - Atualizado em 24/03/2020 - 15:55

​Como boa alimentação e hábitos saudáveis podem fortalecer o sistema imunológico

Não existe alimento ou nutriente milagroso que evite ou trate a Covid-19 ou qualquer outra doença. Por outro lado, uma dieta balanceada como um todo, aliada a outros comportamentos, ajuda o organismo a se manter preparado contra invasores



Apesar do que dizem algumas fake news por aí, não existe alimento ou nutriente milagroso que evite ou trate a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. “A imunidade é formada por um conjunto de fatores que atuam contra diferentes doenças, vírus e bactérias. Não podemos elencar um único alimento ou uma vitamina para resolver um problema de saúde”, aponta o infectologista Hélio Bacha, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, à Agência Einstein.

Por outro lado, uma dieta balanceada como um todo ajuda o organismo a se manter preparado contra invasores. “Se o indivíduo se alimentar corretamente, seu sistema imunológico estará competente, independentemente do tipo de infecção”, informa a nutricionista Deise Cristina Caramico, professora do Centro Universitário São Camilo, em São Paulo, em entrevista à seção Saúde da Editora Abril.

A alimentação é importante para o bom funcionamento do sistema imunológico. E os alimentos ricos em ômega-3, selênio, zinco, probióticos, vitaminas A, C, E e outros são os mais indicados, pois favorecem a produção das células de defesa do organismo de forma mais eficiente.

Alimentos recomendados para fortalecer a imunidade

  • Ômega-3: sardinha, salmão, arenque, atum, sementes de chia, nozes e linhaça;
  • Selênio: castanha do pará, trigo, arroz, gema de ovo, sementes de girassol, frango, pão de forma, queijo, repolho e farinha de trigo;
  • Zinco: ostras, camarão, carne de vaca, frango, peru e peixe, fígado, gérmen de trigo, grãos integrais e frutos secos (castanha, amendoim e castanha do Pará);
  • Vitamina C: laranja, tangerina, abacaxi, limão, morango, melão, mamão, manga, kiwi, brócolis, tomate, melancia e batata com casca;
  • Vitamina E: sementes de girassol, avelã, amendoim, amêndoas, pistache, manga, azeite de oliva, molho de tomate, azeite de girassol, nozes e mamão;
  • Vitamina A: cenoura, babata doce, manga, espinafre, melão, acelga, pimentão vermelho, brócolis, alface e ovo;
  • Complexo B: Composto por várias vitaminas disponíveis em todos os grupos. A B12 só é encontrada nos alimentos de origem animal;
  • Magnésio: leguminosas, oleaginosas (nozes, amêndoas, castanhas) e verduras folhosas
  • Proteínas: alimentos de origem animal (carne vermelha e branca, leite, ovos) e leguminosas (feijão, soja, ervilha, grão de bico);

  • Probióticos: iogurte natural, leite fermentado tipo kefir ou Yakult para manter a saúde intestinal.

E os suplementos alimentares?

Na época de gripe, a procura nas farmácias por suplementos de vitaminas, principalmente da C, costuma aumentar. É possível que o mesmo aconteça na pandemia atual.

Em entrevista à editoria Saúde, da editora Abril, a nutricionista Deise Cristina Caramico explicou que só é necessário lançar mão desses produtos caso haja diagnóstico de algum nutriente em falta. “Se a alimentação de uma pessoa é balanceada, ela já recebe esses elementos nas quantidades suficientes para manter a boa performance do sistema imune”, assegura.

A recomendação para quem não tem um cardápio bacana é, em um primeiro momento, mudar esse comportamento. “Agora, se não resolver, ela poderá usar suplementos”, conclui Deise. E, mais uma vez, sempre sob orientação profissional.

Deve-se evitar ao máximo fast food e alimentos industrializados e comidas congeladas como pizzas e lasanhas, por exemplo, pois contêm substâncias que inflamam o organismo.

Hábitos saudáveis que ajudam o sistema imunológico



Além da boa alimentação, é necessário adotar outros hábitos saudáveis para aumentar a imunidade de forma natural, deixando o corpo mais forte no combate aos agentes agressores.

Confira as dicas

  • Adotar bons hábitos de saúde, realizando atividade física, dormindo adequadamente e evitando situações de estresse;
  • Evitar o cigarro ou estar exposto ao cigarro;
  • Expor-se ao sol diariamente, de preferência até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas, sem protetor solar, para aumentar a produção de vitamina D no organismo;
  • Evitar tomar remédios sem orientação médica;
  • Beber cerca de 2 litros de água mineral ou filtrada todos os dias

Por: Comunicação/Postal Saúde
Fontes Editora Abril e site Tua Saúde
Fotos: 123 RF