07/05/2018 - 18:21 - Atualizado em 25/07/2018 - 15:48

Prevenção do câncer de mama: como reduzir o risco da doença?

Os estudos já provaram que o risco para muitos tipos de câncer, incluindo o de mama, pode ser reduzido com um estilo de vida saudável


Confira as informações da Dra. Luciana Zapata (foto), oncologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, da Rede Credenciada da Postal Saúde :


O câncer de mama é a neoplasia maligna mais frequente nas mulheres e a mama, por fazer parte da identidade feminina, faz com que essa doença seja a mais temida para a maioria de nós, mulheres. Mas quais seriam os sinais ou sintomas que o corpo emite colocando as mulheres em estado de alerta?
Um dos possíveis sintomas palpáveis do câncer de mama é o surgimento de um nódulo, de tamanho variado, geralmente fixo, podendo ou não ser acompanhado de dor.

Nem sempre é possível notar o surgimento de um nódulo. Muitas vezes pode ocorrer apenas uma alteração do mamilo, como inversão ou secreção mamilar sanguinolenta; alterações na pele, como ulceração e espessamento; vermelhidão e calor local, levando a mama a apresentar um aspecto que se assemelha muito à casca de laranja.

Dentre os fatores que podem aumentar o risco para o desenvolvimento da doença, destacam-se:

• Idade – o risco para o câncer de mama aumenta com a idade. A incidência é maior após os 50 anos, no entanto, cada vez mais observamos o surgimento em mulheres mais jovens, com menos de 40 anos.


• História familiar – a maioria dos casos de câncer de mama curiosamente, ocorre em mulheres sem história familiar; menos de 10 % dos casos da doença são hereditários.


• Estilo de vida – estudos têm demonstrado que obesidade, tabagismo, sedentarismo e reposição hormonal na menopausa estão relacionados com aumento na incidência do câncer de mama.

Outros fatores como menarca precoce (primeira menstruação antes dos 12 anos), menopausa tardia (após os 50 anos) e mulheres que não tiveram filhos podem apresentar um maior risco.

Importância da mamografia

A mamografia continua sendo uma das ferramentas mais efetivas para a detecção precoce. As mulheres entre 40 e 44 anos têm a opção de iniciar o rastreamento com uma mamografia anual; entre 45 e 54 anos as mulheres devem realizar mamografia anualmente e aquelas com 55 anos ou mais podem fazer uma mamografia a cada 2 anos ou podem optar por manter a realização do exame anualmente.

Tenha hábitos saudáveis

O câncer de mama não é uma doença inevitável. As mulheres têm mais controle sobre a doença do que pensam. Tudo o que fazemos desde o momento em que acordamos, do que comemos e bebemos, exercitamos ou não, é um fator que pode ligar ou desligar os interruptores genéticos em nosso corpo, inclusive aqueles que podem levar ao câncer. Os estudos já provaram que o risco para muitos tipos de câncer, incluindo câncer de mama, pode ser reduzido ao viver um estilo de vida saudável.

Dessa forma, mudar hábitos de vida, como instituir uma alimentação saudável, não fumar, restringir consumo de álcool, exercitar-se regularmente, controlar o peso e reduzir o stress são medidas simples que cada uma de nós pode fazer agora. Seja qual for a sua idade, agora é a hora de fazer isso acontecer!



Fonte: Dra. Luciana Zapata, oncologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo
Foto: Beneficência Portuguesa de São Paulo