Central do beneficiário

​Postal Saúde se destaca entre as maiores empresas prestadores de serviços de saúde

Postado por Arlinda Carvalho em 27 Aug 2019 15:24


O levantamento já se tornou referência no mercado corporativo
(
Foto: Flávio Santana/Exame)

Pelo terceiro ano consecutivo, a Postal Saúde se destaca no Guia “Melhores & Maiores Empresas do Brasil ” da Revista Exame e está entre as 500 maiores companhias com vendas líquidas do país, no quesito “Serviços de Saúde”, ocupando a 399ª posição da lista.

O anúncio da premiação das 20 melhores empresas e o anúncio das que mais se destacaram em 2018, em diversos segmentos, foi feito na segunda-feira (26), na capital paulista, durante a 46ª edição do evento. O gerente regional em exercício da Postal Saúde em São Paulo, Marcelo Dias do Patrocínio, representou a Operadora na solenidade.

O Guia "Melhores & Maiores" é uma publicação anual da Revista Exame, realizada pela Editora Abril, que reconhece as melhores e maiores empresas do país em diferentes segmentos. O ranking é baseado nas demonstrações contábeis de 500 empresas, mas o sucesso é avaliado a partir de critérios que vão além do desempenho financeiro, considerando também as dimensões “pessoas”, “inovação”, “sustentabilidade”, “visão de futuro” e “governança corporativa”.

O objetivo da publicação é contribuir para disseminar e estimular as melhores práticas de mercado, inspirando as empresas a apostarem em iniciativas inovadoras.

Leia também:

Postal Saúde recebe duas premiações pelo segundo não consecutivo
Postal Saúde é classificada entre as melhores empresas brasileiras e ganha reconhecimento nacional


Por: Comunicação/Postal Saúde

Ministério da Saúde tira dúvidas sobre transmissão do sarampo

Postado por Arlinda Carvalho em 27 Aug 2019 10:03





No último balanço apresentado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registou, entre os dias 5 de maio e 3 de agosto, 907 casos confirmados de sarampo em três estados: São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia. A doença circula no país desde dezembro de 2017 e o ressurgimento do vírus, que não era registrado desde 2015, fez o país perder o Certificado de Eliminação do Sarampo, entregue pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

A doença é altamente contagiosa. Pode ser transmitida pela respiração, tosse ou espirro da pessoa contaminada.


Para tirar dúvidas sobre o sarampo, a Agência Brasil entrevistou diretor do Departamento de Imunizações e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Júlio Croda.


Agência Brasil: Quais são os principais sintomas do sarampo?
Júlio Croda: Os principais sintomas são febre e pele avermelhada, conhecida como exantema. Também podem ser apresentados coriza e conjuntivite.


Agência Brasil: O contágio da doença é fácil?
Croda: É muito fácil. O sarampo é uma doença transmitida pelo ar, por gotículas e é o que apresenta a maior transmissibilidade das doenças transmitidas pelo ar. Uma pessoa infectada pode transmitir a doença para 15 a 20 pessoas em um mesmo ambiente.

Agência Brasil: Existe risco de morte?
Croda: Existe para alguns grupos populacionais especiais, principalmente crianças desnutridas, imunossuprimidos e crianças abaixo de um ano.


Agência Brasil: Como a doença pode ser detectada?
Croda: A doença geralmente é detectada através dos sinais e sintomas clínicos. Também existe o exame laboratorial que pode confirmar a doença.

Agência Brasil: Quais são os locais no Brasil com maior incidência da doença?
Croda: Atualmente nós temos três estados com casos notificados e confirmados. São Paulo concentra 90% dos casos. A gente tem um caso na Bahia e cinco casos no Rio de Janeiro.

Agência Brasil: A vacinação do sarampo faz parte do calendário nacional de vacinação?
Croda: A vacinação faz parte do calendário nacional. Ela é dada dos 12 aos 15 meses. Toda a população entre um ano e 49 anos deve ter duas doses no seu cartão vacinal. Importante ressaltar que os profissionais de saúde devem tomar essas duas doses. Eles fazem atendimento à população e isso evita a infecção e adoecimento desses profissionais.

Agência Brasil: A vacina é segura?
Croda: A vacina é muito segura. Essa vacina tem décadas de uso, uma dose protege 93% e duas doses têm uma eficácia de 97%.

Agência Brasil: Quem pode vacinar?
Croda: Quem pode vacinar são crianças a partir de 12 meses até 49 anos de idade. Todos devem ter, idealmente, uma dose entre um ano e 29 anos e tomar a segunda dose entre 30 e 49 anos.
Atualmente, por conta do aumento do número de casos, nós estamos recomendando que crianças de seis meses a um ano que residam em municípios onde há transmissão da doença tomem uma dose extra da vacina. Crianças da mesma idade que vão viajar para esses municípios também precisam de uma dose extra.

Agência Brasil: Existem medidas que as pessoas podem tomar para evitar a doença?
Croda: As principais medidas para a prevenção são lavagem de mãos adequadamente, proteger o espirro com a mão e evitar locais aglomerados. O paciente que for diagnosticado com a doença deve ficar em seu domicílio. Essa medida é chamada de isolamento domiciliar, e evita que outras pessoas da comunidade sejam infectadas.


Publicado por: Comunicação/Postal Saúde
Fonte: Agência Brasil
Foto: Stock Photos


Campanha de Recadastramento de Dependentes Filhos Universitários prossegue até 27 de setembro

Postado por Arlinda Carvalho em 23 Aug 2019 17:31


Os filhos universitários dependentes do titular no plano de saúde têm até 27 de setembro para atualizar os dados cadastrais na Postal Saúde. Isso porque, com a prorrogação da campanha relativa ao primeiro semestre de 2019, os cadastros renovados naquele período terão validade até 31 de agosto.


Deverão fazer o recadastramento os dependentes na condição de filhos ou enteados solteiros, maiores de 21 anos e menores de 24 anos, que cursam ensino superior (graduação).


Esclarecemos que cursos de pós-graduação, mestrado, doutorado, cursos técnicos, profissionalizantes ou de especialização não se configuram como ensino superior de 3º grau.

A Postal Saúde enviou para as residências dos titulares uma carta com todas as informações. Lembramos que o recadastramento é necessário para garantir a continuidade da assistência médico-odontológica aos beneficiários.


Documentação

Confira a relação dos documentos que devem ser enviados à Postal Saúde até 27 de setembro/2019:


  • Termo de inclusão e renovação de benficiários dependentes devidamente preenchido (FOP 148.04)> Clique no link para baixar o documento, que também foi enviado para a residência do beneficiário titular;

  • Declaração de matrícula do 2º semestre (semestre 02/2019);

  • Cópia do RG;

  • Cópia do CPF.

Atenção: A apresentação da documentação completa é obrigatória. A falta de qualquer um dos documentos acarretará a condição de dependente não renovado.


Canais disponíveis para envio

- Por e-mail: universitarios@postalsaude.com.br.

- Por correspondência: Caixa Postal 9555, CEP: 70.040-976 / Brasília-DF, ou

- Presencialmente: na Unidade de Representação Regional da Postal Saúde mais próxima de sua localidade. Para encontrar o endereço e os telefones da Postal Saúde em seu estado acesse o link Encontre sua Regional


Em casos de dúvidas, o beneficiário deverá entrar em contato com a Central de Atendimento, pelo 0800 888 8116.


Prorrogação dos cadastros

Informamos que os cadastros dos beneficiários renovados no primeiro semestre de 2019, com validade até 31/08/2019, também serão prorrogados, caso a Operadora julgue necessário, devido ao grande volume de documentos recebidos durante a campanha de recadastramento.


Lembramos também que a prorrogação desses cadastros acarretará cobranças de mensalidade (de acordo com o período prorrogado) e cobrança pela utilização do benefício nesse período.


Esclarecemos que, caso o beneficiário não concorde com a prorrogação do cadastro, deverá entrar em contato com a Postal Saúde e solicitar o cancelamento do dependente no plano de saúde, por meio dos seguintes canais de comunicação:


Central de Atendimento: 0800 888 8116

E-mail: exclusao@postalsaude.com.br

Presencialmente: em uma unidade da Postal Saúde em seu estado.


Cadastros cancelados

Os dependentes filhos ou enteados que atingiram a idade de 21 anos e tiveram seus cadastros cancelados devem, obrigatoriamente, comprovar que estão cursando ensino superior e apresentar à Postal Saúde a documentação abaixo:


  • Termo de inclusão e renovação de beneficiários dependentes devidamente preenchido (FOP 148.04). Clique no link para baixar o documento, que também foi enviado para a residência do beneficiário titular;

  • Declaração de Matrícula no início de cada semestre;

  • Cópia do RG;

  • Cópia do CPF;

  • Comprovação de dependência econômica: Declaração de Imposto de Renda do próprio empregado ou do cônjuge (na qual deve constar o nome do filho como dependente) ou declaração firmada pelo empregado, somente se ele for isento da declaração do Imposto de Renda.

Anote na agenda

Recadastramento de Dependentes Filhos Universitários: até 27 de setembro de 2019.

Postal Saúde. Sua vida, nossa existência.


Por: Comunicação/Postal Saúde
Foto: Stock Photos

Orientações aos beneficiários na hora de solicitar um atendimento de saúde

Postado por Arlinda Carvalho em 22 Aug 2019 10:03




Quando o beneficiário necessita de atendimento de saúde, a primeira coisa que faz é buscar um profissional ou estabelecimento da rede credenciada da Postal Saúde. Chegando lá, o prestador verifica se o procedimento tem cobertura pelo plano de saúde e solicita à Operadora uma senha de autorização para realizar o atendimento (consulta, exame ou tratamento). E aguarda a análise do pedido pela Operadora.


No entanto, quando o pedido chega à Postal Saúde, nem sempre o prestador envia todos os dados e documentos necessários para que a análise seja feita de forma segura para a saúde do beneficiário.


Nesses casos, a Operadora informa ao prestador que a solicitação aguarda o envio de documentação para análise. Durante esse processo, o beneficiário pode acompanhar o “status” de sua solicitação.


Confira as orientações da Postal Saúde aos beneficiários na hora de buscar um atendimento de saúde e de como acompanhar o andamento do seu pedido:


  • Escolha o prestador de serviços (clínica, hospital, laboratório) onde você realizará o procedimento;
  • Verifique a data de validade do pedido médico, que não pode ultrapassar 30 dias da solicitação;
  • Compareça ao atendimento marcado de posse de CIB (Cartão de Identificação do beneficiário) e documento pessoal com foto;
  • É importante retirar os resultados dos exames e levá-los o quanto antes ao médico. Quanto mais tempo transcorrer entre a data do exame e o retorno à consulta, menos precisa será a avaliação médica;
  • Antes de deixar o consultório, verifique se o pedido de exame contém o nome e o CRM do profissional e a descrição do procedimento. Para exames mais complexos, é exigida a hipótese diagnóstica. A falta dessas informações impedirá a realização do serviço, pois o prestador necessita informar esses dados para realizar o atendimento;
  • Se a solicitação estiver aguardando análise da Postal Saúde, saiba que o status de sua senha pode ser consultado pelos seguintes meios:

    1. Presencialmente na Unidade de Representação Regional – URR

    Os contatos das filiais da Postal Saúde em sua região podem ser localizados acessando o site da Postal Saúde. Encontre a Postal Saúde nos estados. Ao acessar o link, clique no mapa ou na lista de estados para visualizar os dados.

    2. Site da Postal Saúde – Ambiente Minha Postal

    Outro canal que o operador pode informar ao beneficiário é o ambiente Minha Postal . Ao acessá-lo, informe seu CPF e a senha, que deverá ser criada no primeiro acesso.

    3. Aplicativo Mobile – Minha Postal

    Ao baixar gratuitamente o aplicativo no celular (disponível nas lojas do Google Play), o beneficiário terá acesso às informações sobre o status de sua solicitação, com uma vantagem: o aplicativo pode ser acessado de qualquer lugar.

Em caso de dúvidas, o beneficiário também pode ligar entrar em contato com a Central de Atendimento ao Beneficiário, pelo 0800 888 8116

Leia também outras matérias sobre seu plano de saúde:

Negativas de autorização:Por que ocorrem e o que fazer?

Ajude a fiscalizar seu plano de saúde

Como funciona a solicitação de diárias para internações

Ajude a fiscalizar seu plano de saúde

É preciso solicitar senhas para urgências e emergências?

Inclusão de filhos recém-nascidos, adotivos e novos cônjuges no CorreiosSaúdeII

Saiba como usar seu plano de saúde de forma consciente

Entenda como funciona a garantia de atendimento

Atendimentos de urgência e emergência são iguais?

Confira o prazo para incluir recém-nascido no plano

Saiba como fica o plano de saúde para quem aderiu ao PDV dos Correios

Conheça os canais de comunicação da Postal Saúde

Ouvidoria da Postal Saúde lança nova versão online

Conheça o seu plano: o que é uma glosa?


Por: Comunciação/Postal Saúde
Foto: Stock Photos



​Colesterol: o consumo em excesso é que faz mal à saúde

Postado por Arlinda Carvalho em 20 Aug 2019 10:59


Visto como “vilão” e muitas vezes eliminado pelas dietas mais radicais, o que poucos sabem é que o colesterol é essencial para o nosso organismo, pois ele tem funções eficazes.

“O colesterol é importante, por exemplo, na formação dos hormônios sexuais, ele é fundamental na constituição do nosso sistema nervoso central, na formação dos neurônios. Só que o colesterol em excesso, é também responsável por uma série de doenças, principalmente as cardiovasculares”, explica André Telis, médico cardiologista do Hospital Universitário da Universidade Federal da Paraíba e vinculado à Rede Ebserh.

Mas o que é colesterol? É considerado um tipo de gordura (lipídio) produzido pelo organismo, que desempenha funções essenciais como a produção de hormônio.

LDL: o colesterol ruim

Nosso sangue transporta colesterol de duas formas básicas: o LDL, Lipoproteinas de Baixa Densidade que é responsável pelo transporte de colesterol, produzido pelo fígado, para as células, onde serão utilizadas. É conhecido como ruim por entrar nas artérias e provocar o entupimento.

Se existir excesso de LDL na circulação, sem aproveitamento pelas células, aumenta o risco de aterosclerose (entupimento das artérias pela gordura). Por isso o LDL é chamado de "mau" colesterol.

HDL: o bom colesterol

Já o HDL, Lipoproteinas de Alta Densidade (HDL), é conhecido como bom, porque retira o excesso de colesterol das artérias, impedindo seu depósito e diminuindo a formação da placa de gordura. É responsável por retirar o excesso de colesterol da circulação, levando de volta para o fígado. Por essa função, ele é considerado como "bom" colesterol.

Hereditariedade

Um dos motivos da alteração dos níveis de colesterol é o consumo excessivo de gordura saturadas e gordura trans, presentes em alimentos de origem animal, como carnes, ovos, derivados do leite, além de produtos ultraprocessados como biscoitos, margarina, salgadinhos de pacote, comidas congeladas, bolos prontos e sorvete.

Mesmo quem não costuma comer muitos alimentos industrializados e gordurosos pode ter problemas com o colesterol. Além desses fatores, a hereditariedade pode determinar um colesterol alto mesmo em pessoas de hábitos saudáveis.

Alimentação saudável e exercícios físicos

Para manter o colesterol controlado e a saúde em dia, faça exames regulares, mantenha uma alimentação adequada e saudável e pratique exercícios físicos.

O controle e tratamento das DCV e seus fatores de risco envolvem, além da prescrição de medicamentos, mudanças no estilo de vida, como a prática de atividade física e a adoção de uma alimentação adequada e saudável, baseada na ingestão de alimentos in natura ou minimamente processados.

Orientação alimentar

Para lembrar o Dia Nacional do Combate ao colesterol, 8 de agosto, o Ministério da Saúde disponibiliza a publicação: Alimentação Cardioprotetora: Manual de orientações para profissionais de saúde da Atenção Básica ou Dica BR.

A publicação orienta e apoia a segurança alimentar e nutricional dos brasileiros, além de colaborar com os profissionais de saúde na orientação da alimentação de indivíduos portadores de fatores de risco cardiovasculares.

Também está em sintonia com as recomendações do Guia Alimentar para a População Brasileira, incluindo em suas orientações apenas alimentos in natura, minimamente processados e processados.

A Dica BR pode ser feita por qualquer pessoa, mas é indicada especialmente para indivíduos com excesso de peso ou obesidade; pressão alta; diabetes; colesterol alto; triglicérides alto; histórico de infarto e cirurgia do coração (pontes safena ou mamária); histórico de derrame cerebral (AVC).


Fonte: Blog da Saúde do Ministério da Saúde
Imagens: Stock Photos

Depoimento: ​“Eu nasci de novo”, conta beneficiário carioca

Postado por Arlinda Carvalho em 19 Aug 2019 10:24

Ronaldo na Postal Saúde do Rio: "sempre bem tratado"

O que parecia uma simples erupção na pele tornou-se um grave problema de saúde para o agente de Correios Ronaldo Gustavo Victorino, 63 anos. O episódio, já superado, ocorreu em 2013, na cidade do Rio de Janeiro, mas deixou sequelas na vida do trabalhador.

Ele conta que era uma sexta-feira e ajudava a cimentar a caixa d’água da casa de sua irmã, que logo tratou de providenciar o churrasco para aproveitar com descontração aquela reunião familiar — uma cena típica de muitos lares brasileiros. Até aí tudo bem. Mas o inusitado aconteceu.

O cimento salpicou na perna de Ronaldo, e o local começou a coçar e a incomodar. Ao limpar a área, ele percebeu que havia fezes de gato misturadas na massa de cimento. Passaram-se os dias e uma erupção se formou. “Não era uma ferida, era como uma queimadura”, relata o beneficiário. “Eu achava que ia passar, mas três meses depois a ferida continuava e eu comecei a passar mal. Sentia tontura, vista turva e dor na região abaixo do abdômen”.

Ronaldo conta que foi então levado às pressas para o hospital. Lá chegando, foi atendido pelo infectologista de plantão, pois o quadro insinuava uma grave infecção.

“Cheguei lá com febre de 39 graus e minutos depois perdi os sentidos. Fui encaminhado para a UTI, onde permaneci por cinco dias. Recebi transfusão de sangue e fui submetido a uma série de exames para saber o diagnóstico, que confirmou ser uma doença transmitida pelas fezes de gato”. Em seguida, ele passou por uma cirurgia na bolsa escrotal para retirar um dos órgãos comprometidos e permaneceu internado por 45 dias, até receber alta.

Atendimento eficaz

“Depois dessa experiência, eu nasci de novo”, relata Ronaldo. “A Postal Saúde representa muito para mim. Ter um plano de saúde é uma mão na roda, principalmente na minha idade, quando os problemas começam a aparecer”.

O beneficiário lembra de outra situação em que também foi salvo pelo plano de saúde, desta vez no ano de 1997.

“Naquela época eu jogava pelada com os amigos e praticava natação, mas o problema é que eu fumava e fui surpreendido com uma dor fulminante no peito. Era um infarto. Fui atendido na emergência pelo plano de saúde e graças a Deus escapei vivo. A partir dali, aconselhado pelo médico que me atendeu, abandonei completamente o vício, que poderia custar a minha vida”.

Recentemente, ele foi surpreendido com a febre Chikungunya, uma infecção causada pelo vírus de mesmo nome que provoca sintomas como aumento na temperatura corporal e mal-estar e fortes dores nas articulações. A doença é transmitida pela picada de dois mosquitos, o Aedes aegypti, comum nas cidades brasileiras, e o Aedes albopictus, mais restrito a locais com larga vegetação.

“Mais uma vez precisei do plano de saúde. Fui atendido no Hospital Memorial e ainda estou em tratamento médico”, conta Ronaldo, que sofre de hipertensão, diabetes e apresenta sobrepeso. Além disso, o beneficiário afirma que costuma usar o plano de saúde de forma periódica para realizar os exames preventivos, que incluem consultas, exames laboratoriais e de imagens, quando necessário.

Conscientização

Consciente de que deve cuidar da saúde e promover uma mudança de hábitos, ele diz que deixou de comer alimentos gordurosos e aderiu a uma dieta mais saudável. “Já perdi 20 quilos. Antes estava com 112”, relata o beneficiário, morador do bairro Tomás Coelho, na zona norte da capital carioca.

Quanto à atividade física, ele afirma que seu ofício o ajuda a não deixar o corpo parado. “Eu e outro colega somos responsáveis por apagar as luzes dos 29 andares do edifício-sede dos Correios aqui no Rio e também desligar os elevadores, o que é feito de forma gradativa a partir das 17h30”, acrescenta Ronaldo, detalhando uma espécie de “maratona” que só termina por volta das 20h. “É tranquilo. Gosto muito do que faço”, garante.

Ao receber informações sobre o programa Saúde em Dia, voltado aos beneficiários com alguma doença crônica (como hipertensão, diabetes, obesidade, entre outras), ele ficou animado com a ideia de ter um acompanhamento sistemático por uma equipe especializada. “A Postal Saúde aqui no Rio já me passou os contatos para eu fazer meu cadastro no programa”, alegra-se.

Definindo-se como “pai solteiro”, ele recorda que seu filho Robson Gustavo, hoje com 17 anos, também precisou usar o plano de saúde em uma emergência. “Ele tinha 8 anos quando sofreu uma ruptura no tendão de Aquiles provocada pela linha de uma pipa. Passou por uma cirurgia e deu tudo certo”, relembra Ronaldo.

“Sou muito grato ao plano de saúde dos Correios. Todas as vezes que precisei sempre fui muito bem tratado”, conclui o beneficiário.


Por: Comunicação/Postal Saúde
Foto: Arquivo pessoal

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9