Central do beneficiário

​O que é asma?

Postado por Arlinda Carvalho em 21 May 2019 16:16



A asma é uma das doenças respiratórias crônicas mais comuns, juntamente com a rinite alérgica e a doença pulmonar obstrutiva crônica. As principais características dessa doença pulmonar são dificuldade de respirar, chiado e aperto no peito, respiração curta e rápida. Os sintomas pioram à noite e nas primeiras horas da manhã ou em resposta à prática de exercícios físicos, à exposição a alérgenos, à poluição ambiental e a mudanças climáticas.

Vários fatores ambientais e genéticos podem gerar ou agravar a asma. Entre os aspectos ambientais estão a exposição à poeira e barata, aos ácaros e fungos, às variações climáticas e infecções virais (especialmente o vírus sincicial respiratório e rinovírus, principais agentes causadores de pneumonia e resfriado, respectivamente). Para os fatores genéticos - característicos da própria pessoa -, destacam-se o histórico familiar de asma ou rinite e obesidade, tendo em vista que pessoas com sobrepeso têm mais facilidade de desencadear processos inflamatórios, como a asma.

A asma tem cura?

A asma não tem cura, mas com o tratamento adequado os sintomas podem melhorar e até mesmo desaparecer ao longo do tempo. Por isso é fundamental fazer acompanhamento médico correto e constante, a maioria das pessoas com asma pode levar uma vida absolutamente normal.

A asma pode matar?

Sim, a asma pode matar em casos extremos e raríssimos. Quando a crise está muito intensa e não é feito o tratamento correto, a asma pode levar à morte. Se a pessoa tiver alguma outra complicação clínica (problema de saúde), o corpo pode ficar ainda mais debilitado. No surgimento dos primeiros sintomas, procure um médico imediatamente.

Quais são os sintomas da asma?

A asma tem sintomas bem característicos, mas alguns deles podem ser confundidos com os de outras doenças. Para um diagnóstico adequado ou seguro, o ideal é procurar um profissional de saúde assim que sentir qualquer desconforto.

Os principais sintomas são:

• Tosse seca;

• Chiado no peito;

• Dificuldade para respirar;

• Respiração rápida e curta;

• Desconforto torácico;

• Ansiedade.


Quais são as possíveis complicações da asma?

A asma pode desencadear uma série de processos que podem resultar em complicações, algumas graves. As principais complicações da asma são:

• Capacidade reduzida de se exercitar ou fazer outras atividades;

• Insônia;

• Alterações permanentes no funcionamento dos pulmões;

• Tosse persistente;

• Dificuldade para respirar, a tal ponto que precise de ajuda (ventilação);

• Hospitalização e internação por ataques severos de asma;

• Efeitos colaterais de medicações usadas para controlar a asma;

• Morte.

Como é feito o diagnóstico da asma?

O diagnóstico da asma é principalmente clínico, obtido após consulta e avaliação pelo médico, mas também é confirmado pelo exame físico e pelos exames de função pulmonar (espirometria). Sempre que possível, o médico solicitará a prova de função pulmonar para confirmar o diagnóstico e classificar a gravidade de cada caso. Em crianças de até os cinco anos, o diagnóstico é somente clínico, tendo em vista a dificuldade de realizar outros exames funcionais e complementares.

Na consulta, o médico vai perguntar, entre outras coisas, se a pessoa tem ou teve episódios recorrentes de falta de ar e chiado no peito; se já usou broncodilatador oral ou inalatório para aliviar os sintomas; se há episódios de tosse persistente, principalmente à noite e no início da manhã; se acorda com frequência à noite por causa de falta de ar ou acessos de tosse; se nota algum dos sintomas após exposição a mofo, poeira, animais, fumaça de cigarro, perfumes ou após resfriados, riso e choro; e se alguém da família tem ou teve asma, alergias ou outros problemas respiratórios.

IMPORTANTE: O pulmão de uma pessoa asmática é mais sensível, o que faz com que fatores externos, como a poeira, causem falta de ar, o que normalmente não aconteceria em alguém que não tem a doença.

Classificação da gravidade da asma

A asma tem diferentes graus de gravidade, que podem evoluir ou regredir. O grau mais brando tem sintomas leves e com pausa. Manifesta-se em até dois dias por semana e até duas noites por mês. Ela pode evoluir até a um grau 4, onde ocorrem sintomas graves persistentes ao longo do dia, frequentemente durante a noite e várias vezes por semana.

Como é feito o tratamento da asma?

O objetivo do tratamento da asma é melhorar a qualidade de vida da pessoa, por meio do controle dos sintomas e pela melhora da função pulmonar. O tratamento medicamentoso é realizado junto com medidas educativas e de controle dos fatores que podem provocar a crise asmática.

A definição do tratamento é feita a partir dos sintomas, do histórico clínico e da avaliação funcional conforme cada caso. São utilizados medicamentos para alívio rápido dos sintomas e para manutenção do controle da crise. A base do tratamento da asma persistente é o uso continuado de medicamentos com ação anti-inflamatória, também chamados controladores, sendo os corticosteroides inalatórios (bombinha) os principais. Pode-se associar também medicamentos de alívio, com efeito broncodilatador.

Em todos os casos, é preciso reduzir a exposição aos fatores desencadeantes/agravantes da asma. A cada consulta, o paciente deve receber orientações para o autocuidado - identificação precoce dos sintomas, como proceder em caso de crise, controle e monitoramento da asma -, e ser agendado para reconsulta conforme a gravidade apresentada.

O Sistema Único de Saúde (SUS) fornece tratamento gratuito desde 2011 aos asmáticos por meio do Programa Farmácia Popular. Medicamentos como brometo de ipratrópio, dirpoprionato de beclometasona e sulfato de salbutamol podem ser obtidos, gratuitamente, com a apresentação do CPF e da receita médica.


Tratamento não medicamentoso

A educação do paciente é parte fundamental da terapêutica da asma e deve integrar todas as fases do atendimento ambulatorial e hospitalar. Deve-se levar em conta aspectos culturais e abranger aspectos de conhecimento da doença, incluindo medidas para redução da exposição aos fatores desencadeantes e adoção de plano de autocuidado baseado na identificação precoce dos sintomas. A cada consulta, o paciente recebe orientações de autocuidado, plano escrito para exacerbações e reagendamento para nova consulta conforme a gravidade apresentada.

Tratamento medicamentoso

A base do tratamento da asma persistente é o uso de anti-inflamatório, sendo corticosteroides inalatórios os principais deles, associados a medicamentos de alívio com efeito broncodilatador. O ajuste da terapêutica visa o uso das menores doses necessárias para a obtenção do controle da doença, com isso reduzindo o potencial de efeitos adversos e os custos.


Como prevenir a asma?

A asma é uma inflamação dos brônquios sem uma causa aparente, mas é possível controlar as crises e até prevenir que elas aconteçam com algumas medidas simples.

• Mantenha o ambiente limpo

• Evite acúmulo de sujeira ou poeira

• Tome sol. A vitamina D está relacionada a uma série de doenças do aparelho imunológico, como a asma

• Evite cheiros fortes

• Tome a vacina da gripe

• Não fume

• Se agasalhe, principalmente na época de frio

• Pratique atividades físicas regularmente

• Tenha alimentação saudável

• Beba bastante líquido (água)

• Mantenha o peso ideal

Fatores de risco

Os fatores de risco podem ser divididos em ambientais e próprios do paciente, como é o caso dos aspectos genéticos, obesidade e sexo masculino (durante a infância).

Os fatores ambientais são representados pela exposição à poeira, infecções virais, alérgenos como ácaros, pólen, pelo de animais, fumaça de cigarro, irritantes químicos e poluição ambiental, mudanças climáticas, exercícios físicos vigorosos, estresse emocional e até mesmo alguns tipos de medicamentos. Quando não houver como evitar a exposição, o paciente pode seguir alguns cuidados, como:

• evitar atividades físicas ao ar livre, especialmente em dias frios;

• evitar baixa umidade ou exposição em dias com muita poluição;

• não fumar e evitar ambientes fechados com pessoas fumando.

Alguns estudos apontam que a redução de peso em pacientes obesos com asma demonstra melhora na função pulmonar, nos sintomas, morbidade e na condição de vida.


Fonte: Ministério da Saúde
Imagens: Ministério da Saúde


18 de maio - Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Postado por Filipe em 17 May 2019 11:07

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é celebrado anualmente em 18 de maio.

Em 2000, a data foi criada para alertar a população sobre a quantidade assustadora de casos de violência sexual contra crianças e adolescentes no país. O objetivo é reafirmar a importância de denunciar e responsabilizar os abusadores e propor reflexões sobre o que realmente tem sido feito para evitar a impunidade.

O dia 18 de maio foi escolhido em homenagem à jovem Araceli Crespo, uma menina de apenas 8 anos de idade que foi abusada e violentamente assassinada neste dia, em 1973. Até hoje, ninguém foi punido pelo crime.

O Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes é o grupo responsável por organizar e promover nacionalmente esta data.

No Brasil, o Disque 100 é um serviço gratuito disponibilizado pela Secretaria dos Direitos Humanos da Presidência da República que registra denúncias anônimas de jovens que se sintam ameaçados ou que sofreram qualquer tipo de abuso ou exploração sexual.

Faça a sua parte! Denuncie!


Foto: Stockphotos

​Postal Saúde informa sobre a Rede de Odontologia São Francisco

Postado por Arlinda Carvalho em 17 May 2019 10:06


A Postal Saúde informa que o contrato de reciprocidade feito com a Rede Odontológica da Operadora São Francisco teve início em 1º de setembro de 2017 para atender, inicialmente, as localidades do interior de São Paulo. Com o objetivo de reforçar o atendimento aos beneficiários, a Postal Saúde incluiu, em 2018, outros estados na área de abrangência do convênio.

Atualmente, a São Francisco atende os beneficiários de nove estados/regiões: São Paulo (áreas interior e metropolitana), Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Lembramos que a São Francisco Odontologia atua em todas as especialidades odontológicas, como periodontia, odontopediatria e prótese dentária. Além do atendimento com profissionais especializados, o beneficiário tem à disposição várias opções de clínicas odontológicas e de radiologia.

Outro dado relevante é que o preço acordado com a Rede São Francisco para prestação do serviço é o mesmo praticado com a rede direta da Postal Saúde. Portanto, não se trata de um convênio novo, com custos adicionais para a nossa Operadora.

Carteirinhas

Esclarecemos também que não houve nenhuma alteração no fluxo do atendimento odontológico dos beneficiários. Eles podem ser atendidos apresentando a carteirinha da Postal Saúde, informando o número do CPF ou, ainda, a partir do dia 19 de maio de 2019, apresentando a carteirinha da São Francisco, cujos custos de impressão e envio são de inteira responsabilidade do prestador.

Consulta da Rede

Os serviços da Rede Odontológica São Francisco podem ser consultados no site da Postal Saúde. Para tanto, basta acessar o Guia Saúde, localizado no canto superior esquerdo do monitor, escolher a opção Odonto e preencher os campos solicitados: nome do plano de saúde, estado, cidade, bairro, tipo de estabelecimento e especialidade desejada. Depois, é só clicar em Continuar, escolher o serviço e entrar em contato para agendar o atendimento.

A consulta também pode ser feita na Central de Atendimento da Rede Odontológica São Francisco, pelo número 0800 18 3456.

Postal Saúde. Sua vida, nossa existência


Por: Comunicação/Postal Saúde






​Alterações no formulário de reembolso do PBM

Postado por Filipe em 14 May 2019 16:56


O formulário de Solicitação de Reembolso do Postal Benefício Medicamento (PBM) passou por alterações. A principal mudança é a exclusão do campo “dados bancários para adiantamento” . A partir de agora, o reembolso será creditado na mesma conta cadastrada na Postal Saúde.

Por isso, fique atento à atualização dos seus dados cadastrais. Certifique-se de que as informações são as mais recentes possíveis e evite transtornos posteriores.

Seus dados cadastrais podem ser atualizados a qualquer momento. Para isso, basta entrar em contato com a Central de Atendimento ao Beneficiário pelo telefone 0800 888 8116 ou na Postal Saúde de sua localidade. Para encontrar a Operadora do seu estado, clique aqui.

Além disso, você sabe como funciona o PBM?

Visite a página do benefício e esclareça qualquer dúvida – clique aqui.

Se quiser baixar diretamente o formulário de reembolso, clique aqui.

Se ainda sentir necessidade de conhecer mais detalhes, entre em contato com a Central do Beneficiário – 0800 888 8116.


Postal Saúde: sua vida, nossa existência

​ Novo boletim do Ministério da Saúde aponta 99 óbitos por gripe no país

Postado por Arlinda Carvalho em 13 May 2019 18:55


Novo boletim de monitoramento da influenza divulgado nesta quinta-feira (9) aponta que 535 pessoas foram hospitalizadas por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 99 óbitos. Do total de mortes por influenza, 88 (90%) foram em pessoas que apresentam fatores de risco como idosos, pessoas com doença crônica, crianças, gestantes, indígenas e puérperas. Todos esses grupos fazem parte do público-alvo da Campanha Nacional de Vacinação, que vai até o dia 31 de maio. Por isso, o Ministério da Saúde reforça a importância dessa população procurar os postos de vacinação e receber a vacina. A vacinação é a melhor forma de prevenir o agravamento e mortes causadas pelos vírus da gripe, principalmente nestes grupos prioritários.

Os dados do boletim epidemiológico são até o dia 27 de abril. Em relação ao informe anterior (20 de abril), o número de óbitos por influenza passou de 81 para 99. O boletim também indica que o vírus A (H1N1) é predominante no país até o momento e também responsável pela maior parte dos óbitos, com registro de 254 casos e 89 mortes. Foram identificados ainda 54 casos de influenza A (H3N2); 38 de influenza A não subtipado; e 62 casos de influenza B. Outros 127 casos ainda não tiveram o subtipo identificado.

Estados

Nos primeiros meses do ano, a circulação de vírus influenza se deu com maior intensidade e de forma localizada no estado do Amazonas, com 139 casos e 35 óbitos. O estado de São Paulo também se destaca, com 107 casos e 7 óbitos. Outros estados registraram mortes: Paraná (11); Pará (7); Espírito Santo (6); Tocantins (5); Rio Grande do Norte (4); Ceará (3); Rondônia (3); Acre (2); Alagoas (2); Sergipe (2); Rio de Janeiro (2); Santa Catarina (2); Mato Grosso do Sul (2); Amapá (1); Bahia (1); Minas Gerais (1); Rio Grande do Sul (1); Mato Grosso do Sul (1), além do Distrito Federal (1).

Proteção

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza está disponível para 59,5 milhões de pessoas até o dia 31 de maio. A vacina produzida para a campanha de 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina, e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87). A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.


Fonte: Ministério da Saúde Leia aqui a matéria completa
Foto: Stock Fotos


​Boletos dos empregados afastados - Maio de 2019

Postado por Arlinda Carvalho em 10 May 2019 17:00


A Postal Saúde esclarece que, na competência de maio de 2019, ocorreu uma falha no envio dos boletos físicos encaminhados via Correios aos beneficiários afastados.

Assim, informamos que os boletos estão disponíveis no link http://boleto.postalsaude.com.br/index.php ou no aplicativo da Postal Saúde. O documento poderá ser solicitado, ainda, na unidade da Postal Saúde em seu estado.

Caso o boleto físico seja recebido por meio dos Correios, eles poderão ser pagos até o último dia útil do mês, de acordo com as instruções bancárias no corpo do boleto.

Estamos à disposição para esclarecimentos pela Central do Beneficiário (0800 888 8116) ou em nossas unidades regionais.

Postal Saúde. Sua vida, nossa existência!

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9