Central do beneficiário

​Mãe, substantivo abstrato

Postado por Arlinda Carvalho em 09 May 2019 16:34



Mãe, quando eu era ainda menor que uma sementinha, já projetava em teu ventre angústias e medos que na mesma hora se dissipavam quando eu sentia tua mão roçando carinhosamente as paredes do meu lar, abrigo gostoso que o teu corpo me oferecia.

É que recebeste a notícia de que eu estava lá, zigoto instalado em teu útero sagrado. E nove meses depois eu chegaria pra bagunçar tua vida, mexer em tua rotina, tirar tempo de ti. Pensei que isso te faria infeliz.

Com a placenta ainda em formação, ziguezagueei no líquido amniótico enquanto sentias náuseas e desconforto. Quando eu me agitava, sentia novamente tuas mãos suaves a acariciar a barriga que se avolumava com o passar dos dias. Tua voz me acalmava.

Sentia teu vigor e tua alegria. E já me acostumava com tua voz suave a cantar para mim, mesmo sem me conhecer, e a dizer coisas como: “te amo muito, baby”, “não vejo a hora de ver o teu rostinho” ou “quero que sejas muito feliz”.



Eu me alimentava do teu pão pelo cordão umbilical. Era sabor de mãe, de amor, de devoção. Eu sentia a tua doçura, a tua fartura, mãe. Aos poucos, fui pegando corpo e me acostumando com os teus mimos. Já não podia viver sem eles.

A certa altura, já me imaginava no embalo do teu colo aconchegante, sentindo o cheiro de frutas silvestres do teu perfume, que se misturava com o teu cheiro de mãe e de leite.

Ai, que gostoso e reconfortante quando me colocavas em teus braços e eu dormia em teus seios, sugando o alimento que me sustentava. Preparaste um álbum, com minha foto e os melhores momentos de mim, de nós, em que estava escrito: “Retalhos de vida e felicidade”. Ah, como esse gesto refletiu em mim o teu amor, mãe!

O tempo foi passando e teus cuidados foram se adaptando às diferentes fases do meu existir. Primeiros passinhos, estavas lá, segurando minha mão para eu não cair. Primeiros dentinhos, primeiro dia na escola, aquela febre que não passava, noites sem dormir... Estavas sempre lá. Na pecinha de teatro, eras a primeira a me aplaudir.




Cresci. Na minha formatura, estavas lá. E o meu olhar para ti era de gratidão. No dia do meu casamento, também estavas lá, impregnando com teu esplendor aquele rito de passagem. Virei gente grande. E segues tatuando minha existência com a marca do teu AMOR sem medida.

Hoje, quando deixo meu filho na escola e busco teu ombro amigo, tua generosidade de fada me acolhe com a ternura e a grandiosidade de sempre.

Nada mudou. Estás sempre presente, lá e cá e acolá, onde eu preciso que estejas. E eu, fruto maduro do teu ventre, entrego-me sem reservas a esse amor que não tem fim.

Contigo, aprendi o valor da vida, da fé, da renúncia, do perdão, da entrega. Aprendi o valor do amor. Coroo-te com flores colhidas de um jardim muito especial, regado de sentimentos que não podem ser definidos nem mensurados.

Teu amor, mãe, é meu baluarte. Neste dia especial, subverto as regras do português para dizer: Te amo, mãe, substantivo abstrato.

Texto: Arlinda Carvalho

​Beneficiário, fale com a Postal Saúde!

Postado por Arlinda Carvalho em 08 May 2019 15:07


A Postal Saúde conta com vários canais de comunicação direta com os beneficiários e com a rede credenciada, formada por profissionais, hospitais, clínicas, laboratórios e outros estabelecimentos. O atendimento pode ser feito por telefone, e-mail ou de forma presencial.

Confira quais são esses canais de atendimento:

• 0800 888 8116 – Central do Beneficiário

A Central de Atendimento ao beneficiário funciona 24h por dia, 7 dias por semana, pelo número 0800 888 8116. Nesse canal, os beneficiários poderão solicitar informações sobre a rede credenciada em âmbito nacional; alteração cadastral; informações sobre inclusão, renovação e exclusão de beneficiários; segunda via do Cartão de Identificação do Beneficiário (CIB); auxílio na emissão de extrato de despesas médicas e odontológicas; alteração de senha da área restrita ao beneficiário; informações relacionadas a reembolso e outros serviços.

Quer saber os prazos para seu atendimento de saúde? Acesse o link ao lado para acessar as informações: Prazos para atendimento de serviços de saúde são regulamentados pela ANS

Lembre-se que esses prazos são necessários para permitir, entre outros fatores, a análise e a liberação mais adequada dos procedimentos.

• 0800 888 8117 – Central do Beneficiário (Deficiente auditivo)

A Postal Saúde também tem um canal especial para os beneficiários com deficiência auditiva, disponível 24h por dia, 7 dias por semana, que irá fornecer todas as informações e serviços relacionados à Postal Saúde. As ligações para o 0800 888 8117 devem ser feitas utilizando um aparelho compatível com essa tecnologia. Estes aparelhos estão disponíveis em Aeroportos, Rodoviárias e locais de grande movimentação, que contam com um Terminal Telefônico para Surdos (TTS). O sistema, ao receber ligações oriundas desse terminal, estabelece uma comunicação direta com o beneficiário, por meio de mensagens de texto.

• Postal Saúde em seu estado

Nos casos em que o beneficiário não tenha suas necessidades atendidas pela Central de Atendimento, poderá procurar a unidade da Postal Saúde em seu estado, que recebe e atende solicitações por meio de telefone e e-mail, além do atendimento presencial. O objetivo é facilitar ainda mais a comunicação com a Postal Saúde.

O beneficiário pode conferir telefones, e-mails, horário de atendimento e endereços das unidades regionais em todo o país no site da Postal Saúde, pelo link Encontre a Postal Saúde nos estados.

• 0800 888 8120 – Ouvidoria

Outro canal de comunicação direta com o beneficiário é a Ouvidoria. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, pelo número 0800 888 8120. Por ser um canal de segunda instância, trata de casos que não foram resolvidos ou respondidos pela Central de Atendimento e pelas unidades da Postal Saúde nos estados. Dessa forma, é necessário possuir o número do protocolo do primeiro atendimento (obtido pelo 0800 888 8116).

Assim, o beneficiário deve recorrer à Ouvidoria caso não tenha recebido a resposta da sua solicitação pelos Canais de Atendimento da Postal Saúde ou não tenha ficado satisfeito com o resultado do seu questionamento. Além do atendimento telefônico, o contato com a Ouvidoria pode ser feito eletronicamente pelo endereço: www.postalsaude.com.br/ouvidoria

• 0800 881 8080 – Central de Autorização

Disponível 24h por dia, 7 dias por semana, esse serviço deve ser utilizado para solicitar, acompanhar e/ou cancelar autorização de procedimentos médico-hospitalares e odontológicos.

Postal Saúde. Sua vida, nossa existência.


Por: Comunicação/Postal Saúde


Aprenda a armazenar medicamentos

Postado por Arlinda Carvalho em 07 May 2019 14:30



Muita gente tem o hábito de ter uma “farmacinha” em casa, não é mesmo? Mas você sabia que os medicamentos podem estragar mesmo antes de vencer se não forem guardados corretamente? Quando envolve os medicamentos, a coisa é séria, todo cuidado é pouco! Isso porque, as condições de umidade, luz e temperatura podem interferir na fórmula do remédio.

Leia algumas dicas sobre como armazenar da forma correta os medicamentos.

1. Mantenha os medicamentos em lugares secos e frescos, seguros e específicos para este fim. Evite guardar os medicamentos com produtos de limpeza, perfumaria e alimentos.

2. Guarde na geladeira apenas os medicamentos líquidos, conforme orientação de um profissional de saúde. Não guarde medicamentos na porta da geladeira ou próximo do congelador.

3. Na geladeira não é bom colocar na porta porque quando você deixa na porta, ele acabar variando muito a temperatura.

4. Se você utilizar porta-comprimidos para guardar os medicamentos, deixe somente a quantidade suficiente para 48 horas. Os recipientes devem ser cuidadosamente mantidos limpos e secos.

5. O armazenamento de medicamentos deve ser individualizado para evitar erros e trocas com medicamentos de outras pessoas.

6. Lave as mãos antes de manusear qualquer medicamento.

7. Manuseie os medicamentos em lugares claros. Leia sempre os nomes para evitar trocas.

8. Tome os comprimidos e as cápsulas sempre com água ou conforme a orientação de um profissional de saúde.

9. Abra somente um frasco ou embalagem de cada medicamento por vez.

10. Mantenha os medicamentos nas embalagens originais para facilitar sua identificação e o controle da validade.

11. Observe frequentemente a data da validade e não tome medicamentos vencidos.

12. Consulte um farmacêutico caso observe qualquer mudança no medicamento: cor, mancha ou cheiro estranho.

13. Utilize preferencialmente o medidor que acompanha o medicamento. Evite o uso de colheres caseiras. Lave-o após o uso.

14. Não passe o bico do tubo do medicamento em feridas ou na pele quando for utilizar pomadas. Você pode contaminar o medicamento.

15. Não encoste no olho ou na pele o bico dos frascos dos colírios e das pomadas para os olhos.

16. Mantenha a receita médica junto aos medicamentos.

17. Nunca espere o medicamento acabar para providenciar nova receita, para comprá-lo ou buscá-lo na unidade de saúde.

18. Guarde os medicamentos suspensos ou antigos em local separado dos medicamentos em uso.

Mais de um remédio por vez

Há quem tome um medicamento por dia, uma vez por semana, de seis em seis horas ou de oito em oito. Muitas vezes, manter tudo isso dentro da ordem pode ser difícil. Existem vários fatores que interferem no uso de medicamentos e consequentemente no resultado do tratamento, como por exemplo, esquecer de tomar, utilizar uma dose maior ou menor, trocar os horários, entre outros motivos.

A melhor dica é: anote o que você está tomando e quais são os horários de cada medicamento, incluindo orientações específicas como “tomar após o café da manhã” ou “30 minutos antes do almoço”

Também é interessante manter uma lista com você e outra em casa, a vista de todos. E lembre-se de atualizar a lista a cada consulta ou mudança.

Sua lista deve incluir o nome exato do medicamento, se é similar ou genérico. Também anote por que você está tomando cada medicamento, caso tome mais de um, a dosagem (por exemplo, 300 mg), e quantas vezes você precisa tomar por dia.

Considere dar uma cópia para um amigo ou um ente querido, que você confia, para que ele possa te ajudar, especialmente, em caso de emergência ou até mesmo quando você estiver viajando e por alguma razão, perdeu as orientações.


Fonte: Blog da Saúde/Ministério da Saúde
Foto: Blog da Saúde/Ministério da Saúde (
http://www.blog.saude.gov.br/)


​Quase mil cidades podem ter surto de dengue, zika e chikungunya no país

Postado por Arlinda Carvalho em 02 May 2019 15:43




O primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2019 indica que 994 municípios (20% do total realizado) apresentaram alto índice de infestação, com risco de surto para as doenças dengue, zika e chikungunya.

O Ministério da Saúde alerta que o sistema de vigilância de estados e municípios e toda a população devem reforçar os cuidados para combater o mosquito. Ao todo, 5.214 municípios realizaram algum tipo de monitoramento do mosquito transmissor dessas doenças, sendo 4.958 (95,1%) por levantamento de infestação (LIRAa/LIA) e 256 por armadilha. A metodologia da armadilha é utilizada quando a infestação do mosquito é muito baixa ou inexistente no local.

“O resultado do LIRAa confirma o aumento da incidência de casos de dengue em todo o país que subiu 339,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Esses resultados indicam que é preciso fortalecer ainda mais as ações de combate ao mosquito transmissor, com a participação da população e de todos os gestores locais e federal”, afirma o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber, frisando, no entanto, que “mesmo com aumento no número de casos da doença, a taxa de incidência de 2019 está dentro do esperado para o período. Sendo assim, até o momento, o país não está em situação de epidemia, embora possa haver epidemias localizadas em alguns municípios e estados”, disse.

Acesse o Informe Epidemiológico

Além das cidades em situação de risco, o levantamento identificou 2.160 municípios em alerta, com o índice de infestação predial (IIP) entre 1% a 3,9% e 1.804 municípios com índices satisfatórios, inferiores a 1%. No total, 25 capitais realizaram o Levantamento Rápido de Índices por Aedes aegypti (LIRAa).

Cinco capitais estão com índice satisfatório: Boa Vista (RR), João Pessoa (PB), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e o Distrito Federal. A capital Cuiabá (MT) está em risco. Outras 16 capitais estão em alerta: Fortaleza (CE), Porto Velho (RO), Palmas (TO), Salvador (BA), Teresina (PI), Recife (PE), Belo Horizonte (MG), Campo Grande (MS), Vitória (ES), São Luis (MA), Belém (PA), Macapá (AP), Manaus (AM), Maceió (AL), Aracaju (SE) e Goiânia (GO).

Os municípios de Natal (RN), Porto Alegre (RS) e Curtiba (PR) realizaram levantamento por armadilha. As capitais Florianópolis (SC) e Rio Branco (AC) não enviaram informações. Os dados foram coletados no período de janeiro a março deste ano.

O LIRA é um instrumento fundamental para o controle do vetor e das doenças (dengue, zika e chikungunya). Com base nas informações coletadas, o gestor pode identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de criadouro predominante. O objetivo é que, com a realização do levantamento, os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito.

Criadouros do Aedes aegypti

A metodologia permite identificar onde estão concentrados os focos do mosquito em cada município, além de revelar quais os principais tipos de criadouros predominantes. Os resultados reforçam a necessidade de intensificar imediatamente as ações de prevenção contra a dengue, zika e chikungunya, em especial nas cidades em risco e em alerta.

O armazenamento de água no nível do solo (doméstico), como tonel, barril, foi o principal tipo de criadouro no país, seguido dos depósitos móveis, caracterizados por vasos/frascos com água, pratos e garrafas retornáveis. Por último, depósitos encontrados em lixo, como recipientes plásticos, garrafas PET, latas, sucatas e entulhos de construção, sendo passíveis de remoção.

Casos de dengue, zika e chikungunya

Em 2019, até 13 de abril, foram registrados 451.685 casos prováveis de dengue no país, aumento de 339,9% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 102.681 casos. A incidência, que considera a proporção de casos em relação ao número de habitantes, tem taxa de 216,6% casos/100 mil habitantes. O número de óbitos pela doença também teve aumento, de 186,3%, passando de 66 para 123 mortes.

Em relação à zika, foram registrados 3.085 casos, com incidência de 1,5 caso/100 mil hab. Em 2018, no mesmo período, foram registrados 3.001 casos prováveis. Em 2019, não foram registrados óbitos por zika.

Também foram registrados 24.120 casos de chikungunya no país, com uma incidência de 11,6 casos/100 mil hab. Em 2018, foram 37.874 casos – uma redução de 36,3%. Em 2019, não foram confirmados óbitos por chikungunya.

Leia a matéria completa no site do Ministério da Saúde


Por: Comunicação/Postal Saúde
Imagem: Stock Photos



​Postal Saúde completa 6 anos com redução de despesas e ações inovadoras

Postado por Arlinda Carvalho em 29 Apr 2019 18:04


Em um cenário marcado por grandes desafios no segmento de autogestão em saúde no Brasil, a Postal Saúde completa 6 anos no dia 30 de abril com resultados positivos para a Mantenedora e para os 356,6 mil beneficiários – empregados dos Correios ativos, aposentados e seus dependentes no plano de saúde.

Apesar da inflação registrada no índice “saúde”, com consequente aumento das despesas assistenciais, a Operadora, focada no compromisso com os resultados, garantiu a sustentabilidade do plano, a partir da adoção de medidas que repercutiram positivamente no seu Balanço Anual 2018. Vejamos alguns desses resultados.

Redução das despesas assistenciais

Um dos resultados positivos foi a redução de 1,3% das despesas assistenciais, em 2018, contrariando a conjuntura de inflação do mercado de saúde suplementar. O IPCA – Saúde (índice que mede a inflação acumulada do setor de saúde) fechou o ano em 11,17%.

A Operadora também se destaca por possuir o menor custo per capita assistencial (de R$ 393) entre as grandes operadoras de autogestão, conforme dados coletados na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Qualidade de atendimento com custo menor

Em 2018, foram registradas 54,8 mil internações, com tempo médio de 5 dias e um custo médio de R$ 15.5 mil. Apesar de ter havido um aumento no número de internações realizadas em 2018 — com relação ao ano anterior (54,4 mil) — , o custo médio da internação em relação a 2017 (R$ 16 mil) foi menor.

Tal redução foi decorrente de ações com foco no controle efetivo dos custos, tais como: realização de auditoria concorrente, programas de saúde e negociações com a rede credenciada.

Decréscimo das despesas administrativas

As medidas adotadas para manter o equilíbrio financeiro do plano de saúde refletiram positivamente também no controle das despesas administrativas que, mais uma vez, registraram uma redução, agora de 3,58%.

É a menor despesa administrativa per capita (R$ 34,31) entre as grandes operadoras de autogestão. Destaca-se que o comparativo do total de despesas (assistenciais e administrativas) entre os exercícios de 2017 e 2018 registrou uma redução de 1,49%.

Mais proatividade e transparência

Além de reduzir custos, a Postal Saúde também empreendeu diversas ações para garantir o atendimento do beneficiário, a partir da renegociação dos contratos com a Rede Credenciada.

Ao longo do ano, foram processadas 3,48 milhões de solicitações de serviços de saúde na Rede Credenciada em todo o país, que engloba 17.882 prestadores, entre profissionais e estabelecimentos de saúde.

Destas solicitações, 91% foram autorizadas de imediato, 7% negadas por não atenderem aos critérios de regulação e 2% autorizadas parcialmente por divergências técnicas. No período, foram realizados 7,47 milhões de exames e 1,95 milhão de consultas. (Confira adiante Postal Saúde 2018 em números).

A Operadora também aprimorou os mecanismos de gestão, dando mais transparência e eficiência nos processos. Como exemplo, destacam-se a escolha do pregão eletrônico como principal forma de licitação; melhorias nos processos de aquisição de órteses, próteses e materiais especiais (OPMEs), entre outras.

Acesse aqui o Relatório de Administração 2018 na íntegra.


Foco nos programas de saúde

Já reconhecida como uma das melhores práticas no segmento de saúde suplementar, os programas de saúde têm sido uma das prioridades da gestão da Operadora, que lançou os programas “Saúde em Dia” e “Saúde da Mulher”. Na Postal Saúde, 1% da população consome 38% da despesa assistencial (R$ 614,26 milhões por ano). Neste contexto, a grande parte desses altos custos são beneficiários acima de 59 anos com doenças crônicas.


O Programa Saúde em Dia permite que, com ações pontuais de cuidado com a saúde, sejam evitados os fatores de risco que podem contribuir para o surgimento ou o agravamento de doenças. Essas ações reduzem os custos assistenciais e proporcionam mais qualidade de vida aos beneficiários.



Já o Programa Saúde da Mulher atendeu, até dezembro de 2018, 294 beneficiárias. O foco do programa é a detecção precoce do câncer de mama, de colo do útero e de doenças sexualmente transmissíveis (ISTs).

O resultado tem sido satisfatório. Do total de mulheres atendidas, 86% realizaram exames citopatológicos e 95% a mamografia. Dessas, foi constatado nódulo mamário em 6 mulheres e em 16% foram diagnosticadas doenças sexualmente transmissíveis, havendo o encaminhamento para tratamento de 36% das beneficiárias com problemas de saúde.

Atendimento nos ambulatórios sem coparticipação (rede própria)

Atualmente existem 18 ambulatórios ativos, distribuídos nos estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Os serviços prestados nos ambulatórios têm como objetivo o acolhimento humanizado dos beneficiários. Uma das vantagens é a não coparticipação das despesas médicas e a localização das unidades, próxima ao ambiente de trabalho.

Ranking das melhores empresas do país

Pelo segundo ano consecutivo, a Postal Saúde entrou no ranking do anuário Época Negócios 360º e está entre as 300 melhores empresas do país. Os critérios para a escolha das empresas vão além do desempenho financeiro e levam em consideração as dimensões “pessoas”, “inovação”, “sustentabilidade”, “visão de futuro” e “governança corporativa”.

A Postal Saúde também apareceu, pelo segundo ano consecutivo, entre as 500 melhores empresas do país no ranking elaborado pela Revista Exame. O levantamento é baseado nas demonstrações contábeis de 500 empresas. O sucesso é avaliado com base na comparação dos resultados das melhores empresas identificadas em 18 setores da economia em termos de crescimento, rentabilidade, saúde, entre outros.

Superando desafios

Os resultados do Relatório de Administração 2018 mostram que foram muitos os desafios enfrentados pela Operadora, superados com ações de valorização do plano de saúde e dos beneficiários. Os desafios continuam e não mediremos esforços para seguir com essa trajetória de conquistas, confirmando a vocação da Operadora de ser referência no segmento de autogestão em saúde no Brasil.


Postal Saúde 2018 em números

3,4 milhões de solicitações de atendimento de saúde

91% das solicitações autorizadas de imediato

1,95 milhão de consultas realizadas

7,47 milhões de exames realizados

17.882 prestadores

1.770 hospitais (distribuídos em 813 municípios)

54,8 mil internações

980,81 mil procedimentos odontológicos

1.516 medicamentos quimioterápicos, no valor total de R$ 3,81 milhões

18 Ambulatórios (rede própria) funcionando em AL, BA, CE, MG, PA, PB, PI, RJ, RN, RS, SC e SP.


Postal Saúde. Sua vida, nossa existência.


Por: Comunicação/Postal Saúde
Imagens: Postal Saúde



​Mais de 70% dos beneficiários aprovam os planos da Postal Saúde

Postado por Arlinda Carvalho em 29 Apr 2019 15:46


Os beneficiários da Postal Saúde estão satisfeitos com o atendimento dos planos de saúde administrados pela Operadora. Segundo dados da Pesquisa de Satisfação realizada pela GlobalTrevo Consulting, entre os dias 2 e 10 de abril, 72% dos titulares e dependentes que utilizam os serviços médico e odontológico avaliam o plano como Bom.

Quanto à metodologia aplicada, a pesquisa foi do tipo “quantitativa”, com entrevistas realizadas por telefone, seguindo parâmetros técnicos estabelecidos pela Agência Nacional de Saúde (ANS). A amostragem da pesquisa foi “estratificada”, por Probabilidade Proporcional ao Tamanho (PPT), modalidade de plano de saúde e selecionada por sorteio aleatório de entrevistados, com base no banco de dados cadastrais dos beneficiários.

Perfil dos entrevistados

Dos respondentes, 84% são do plano CorreiosSaúde II e 16% do Viver Saúde. Destes, 49% são titulares e 51% dependentes dos planos de saúde. Quanto ao gênero, 52% são mulheres e 48% homens.

A maioria dos entrevistados reside nos estados de São Paulo (27%), Rio de Janeiro (12%), Minas Gerais (11%), Rio Grande do Sul (6 %), DF (5%), Bahia (5%) e Paraná (4%).

Itens avaliados

As perguntas abordaram itens como “Avaliação do plano” , “Cuidados com a saúde por meio do plano”, “Satisfação com relação à necessidade de atenção imediata”, “Atenção à saúde recebida”, “Facilidade de acesso à lista de prestadores” (rede credenciada), “Avaliação do atendimento”, “Facilidade no preenchimento e envio de documentos e formulários”, “Resolução das reclamações” e “Recomendação do plano para outras pessoas”.



Bom nível de satisfação geral

No item “Avaliação do plano”, a satisfação geral atingiu a média de 72%. A pergunta aplicada foi: Como você avalia o seu plano de saúde? O sentimento geral dos beneficiários reflete o patamar de pontuação Bom. Individualmente, a concentração de opiniões demonstra o mesmo sentimento.

78% aprovam atendimento quanto precisam de atenção imediata

Outro item bem avaliado, com 78% de satisfação, foi “Necessidade de atenção imediata”, que mensurou o sentimento do beneficiário com relação aos atendimentos de urgência ou emergência sempre que ele precisa.

A pergunta foi: Nos últimos 12 meses, quando você necessitou de atenção imediata (por exemplo, caso de urgência ou emergência, com que frequência você foi atendido pelo seu plano de saúde assim que precisou?

As respostas mostraram que é alto o sentimento de que o plano de saúde atende às expectativas dos beneficiários nessas situações.

“Cuidados com a saúde” recebe 76% de aprovação

Os beneficiários também se mostraram satisfeitos com relação ao atendimento do plano de saúde para marcação de consultas, realização de exames ou tratamento, que atingiu uma média de 76% de aprovação. O item avaliado foi “Cuidados com a saúde por meio do plano”.

Para avaliação deste tópico, os entrevistados responderam à pergunta: Nos últimos 12 meses, com que frequência você conseguiu ter cuidados de saúde (por exemplo: consultas, exames ou tratamentos) por meio do seu plano de saúde quando necessitou%).

O patamar positivo foi alcançado com a maioria das opiniões atribuindo as respostas “sempre”, “a maioria das vezes” e “às vezes”.

Satisfação com “Atenção à saúde recebida” é de 75%

A Postal Saúde também está conseguindo atender às necessidades dos beneficiários quando se trata de “Atenção à saúde recebida”. Esse item alcançou 75% de satisfação com relação ao atendimento prestado pela rede credenciada. A pergunta foi: Nos últimos 12 meses, como você avalia a atenção em saúde recebida (por exemplo: atendimento em hospitais, laboratórios, clínicas, médicos, dentistas, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos e outros)?

O patamar de classificação foi considerado Bom entre os beneficiários.

70% aprovam o “Atendimento com acesso às informações”

No item “Avaliação de Atendimento/Acesso” 70% dos beneficiários entrevistados aprovaram o atendimento relacionado ao acesso às informações.

Eles responderam à pergunta: Nos últimos 12 meses, quando você acessou seu plano de saúde (exemplo de acesso: SAC, presencial, teleatendimento ou por meio eletrônico), como você avalia seu atendimento, considerando o acesso às informações que precisava?

O patamar médio de avaliação foi considerado Bom.

Item “Avaliação de facilidade no preenchimento e envio de documentos” tem 70% de aprovação

Esse item foi bem avaliado pelos beneficiários, com 70% de aprovação.

A pergunta foi: Como você avalia os documentos ou formulários exigidos pelo seu plano de saúde quanto ao quesito facilidade no preenchimento e envio?

O patamar alcançado foi Bom na média das opiniões.

Maioria das reclamações é resolvida

A pesquisa avaliou também a capacidade da Operadora de resolver as reclamações que recebe sobre o plano.

A pergunta foi: Nos últimos 12 meses, quando você fez uma reclamação para o seu plano de saúde, você teve sua demanda resolvida?

Dos respondentes, 56% não fizeram nenhuma reclamação no período analisado. Dos que fizeram alguma reclamação, 66% tiveram suas demandas resolvidas.

Facilidade de acesso à lista de prestadores de serviços credenciados

Nesse item, a avaliação média dos beneficiários alcançou 64%.

A pergunta foi: Como você avalia a facilidade de acesso a lista de prestadores de serviços credenciados pelo seu plano de saúde (por exemplo: médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, hospitais, laboratórios e outros) por meio físico ou digital (por exemplo: livro, aplicativo de celular, site na internet?)

A facilidade de acesso à lista de prestadores foi considerada Boa.

Mais da metade dos beneficiários recomendaria o plano

A maioria dos beneficiários da Postal Saúde recomenda o plano para outras pessoas.

Eles responderam à pergunta: Você recomendaria o plano de saúde para amigos e familiares?

Dos respondentes, 53% disseram que sim, recomendariam. Destes, 61% afirmaram que “recomendariam sempre” e 5% “recomendariam definitivamente”.

Comunicação geral com o beneficiário

A pesquisa apontou que é preciso avançar no item “Comunicação com o beneficiário”. Dos entrevistados, 87% disseram que não receberam algum tipo de comunicação no período analisado.

A pergunta foi: Nos últimos 12 meses, você recebeu algum tipo de comunicação de seu plano de saúde (por exemplo: carta, e-mail, telefonema, etc.) convidando e/ou esclarecendo sobre a necessidade de realização de consultas ou exames preventivos tais como: mamografia, preventivo de câncer, consulta preventiva com urologista, consulta preventiva com o dentista, etc.?

A Pesquisa de Satisfação foi auditada por empresa independente. Para acessar o parecer da auditoria, clique aqui.


Resultados servirão de parâmetros para melhoria do plano

Um dos objetivos desta pesquisa de satisfação encomendada pela Postal Saúde foi avaliar o grau de satisfação dos beneficiários com relação aos serviços oferecidos pelo plano de saúde. Os resultados mostraram que, em nível geral, a Operadora atende às expectativas da maioria dos entrevistados com relação aos vários itens avaliados. Os índices apresentados equiparam-se ou ultrapassam a média apresentada por outras operadoras de mercado em pesquisas divulgadas em seus sites.

Levando-se em conta as dificuldades enfrentadas pelo segmento de saúde suplementar no Brasil, e em especial pelas operadoras de autogestão em saúde, e o universo de 356,6 mil beneficiários que utilizam o nosso plano de saúde, há que considerar que os esforços realizados pela atual gestão têm logrado êxito.

Com percentual de 72% de satisfação de seus beneficiários, a Postal Saúde fechou o ano de 2018 com bons resultados nas ações que empreendeu para garantir a sustentabilidade do plano e aprimorar seus serviços, aumentando, assim, o nível de satisfação dos beneficiários.

Para conhecer esses resultados, clique no Relatório de Administração 2018.

Com o intuito de melhorar os pontos menos bem avaliados na pesquisa de satisfação e a aproximação com os beneficiários, a Operadora está reforçando seus canais de comunicação, que são a Central de Atendimento ao Beneficiário (0800 888 8116), com ligação gratuita; a unidade da Postal Saúde em seu estado e a Ouvidoria, cujas solicitações podem ser feitas pelo site ou pelo 0800 888 8120 (ligação gratuita).


Fonte: GlobalTrevo Cosulting/Postal Saúde
Imagem: Stock Photos

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9